Caracóis de Caramelo / Caramel Snails

Aqui vai uma receita rápida para todos aqueles que não se meteram em dietas assim que soaram as doze badaladas e começou o ano. Ou para os que, ao dia 3, já se deixaram disso. Ou para os que esperam, sabiamente, até ao dia de Reis para começar com as resoluções que envolvam não comer bolos.

A todos os outros: olhem para o lado, por favor. Passem à frente, sigam viagem. Voltem mais tarde, quando acabarem com as dietas. Façam o que fizerem, não me deitem as culpas!

Caracóis de Caramelo / Caramel Snails

Isto nem é bem uma receita. Honestamente, mais valia chamar a isto trabalhos manuais. Só tem dois ingredientes: massa folhada e doce de leite (leite condensado cozido). Sou grande fã de fazer tudo do início, mas a massa folhada e o doce de leite são duas daquelas coisas que exigem muito tempo e paciência, e por isso acabo sempre a comprá-las já feitas. Neste caso, a massa folhada tem de ser rectangular, pelo que é preciso ter cuidado com aquelas que já vêm estendidas em forma redonda.

Caracóis de Caramelo / Caramel Snails
Caracóis de Caramelo / Caramel Snails

Estes caracóis são óptimas guloseimas para um chá com amigas. Também dão uma boa prenda para um amigo guloso, ou uma daquelas tias a quem não sabemos o que oferecer pelo Natal, todas empilhadas e enroladas em papel vegetal. São lindos, deliciosos, e parecem muito mais complicados de fazer do que na realidade são. Sejam para quem forem, são o bluff perfeito.

Caracóis de Caramelo / Caramel Snails
Caracóis de Caramelo / Caramel Snails  

Caracóis de Caramelo

  • 1 embalagem de massa folhada (se já vier estendida, que seja de forma rectangular, e não redonda)
  • 1/2 lata de leite condensado cozido (doce de leite)

Liga-se o forno a 200ºC e forra-se um tabuleiro com papel vegetal.

No caso de a massa folhada estar em bloco, estende-se com um rolo da massa, em forma de rectângulo numa superfície enfarinhada, até ter cerca de 2-3mm de espessura. Se já vier estendida, é só desenrolar.

Espalha-se o leite condensado cozido numa camada fina e uniforme em toda a superfície, com uma espátula de borracha. Não vale a pena colocar demasiado, já que o excesso vai escorrer para o tabuleiro durante a cozedura, e não se aproveita.

Com a massa na horizontal, dividide-se em tiras verticais de cerca de 3 cm de largura, com uma faca afiada. No centro de cada tira, faz-se um corte vertical adicional, a começar a 1cm do topo e a acabar a 1 cm do fundo, para ajudar a massa a dobrar ao meio quando se torcer.

O processo de formar os caracóis é delicado, e acabamos com os dedos todos peganhentos, mas não é difícil, e melhora com a prática. Pegando numa tira de massa com uma mão em cada ponta, começa-se a torcer, girando cada ponta em sentido contrário, até obter uma espiral comprida. Com muito cuidado, pousa-se uma das pontas no tabuleiro forrado, prende-se com o dedo, e enrosca-se o resto da espiral em volta, para formar o caracol, escondendo a ponta final por baixo do caracol formado.

Vai ao forno por 20 minutos, e deixa-se arrefecer numa grelha antes de transferir para um recipiente fechado, onde podem ser conservados por cerca de uma semana.

Comentários